APAE Valinhos e FEAPAES abrem oficialmente o “Setembro Verde”

2/9/2020

Na noite de terça-feira, 1º de setembro, a FEAPAES – Federação das APAES do Estado de São Paulo e APAE de Valinhos fizeram a abertura oficial do Setembro Verde, mês da inclusão da pessoa com deficiência. A Presidente da FEAPAES Dra. Cristiany Castro falou da importância da data, alertando que são 45 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência, especialmente com intelectual e múltipla e por isso é preciso quebrar barreiras. “O Setembro Verde que nasceu de uma ideia do Dr. Ruy Meirelles na APAE de Valinhos, já é uma realidade nas APAEs do Estado de São Paulo e estamos lutando para se estenda para todo o Brasil”.
O Presidente da APAE Valinhos Luís Roberto Roson que também participou da abertura oficial, convidou a todos para uma reflexão sobre dois pontos: o primeiro é a definição da pessoa com deficiência e segundo é a realização do resgate histórico desse tema em nossa sociedade.
Roson fez um breve histórico da pessoa com deficiência que no período colonial ficava isolada da sociedade, essas pessoas eram confinadas dentro da própria casa ou mantidas em prisões ou nas Santas Casas, quando provocavam a desordem na sociedade. Após a independência, foi criado o primeiro hospício, denominado “Hospício D.Pedro II”. 
Na primeira metade do século XX, como o Estado havia estacionado as ações nesse segmento, a sociedade civil foi se organizando para atuar com diversas questões sociais, criando associações voltadas à saúde e a assistência, surgiram então, a Sociedade Pestalozzi (1932) e Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais – APAE (1954), isso fez o governo buscar alternativas para resolver as questões sociais, criando por consequência as políticas públicas, com um conjunto de regras e ações, para desenvolver interrelações entre o Estado, política, economia e sociedade, propondo mudanças na realidade atual.
“Uma das grandes conquistas, dentro dessa trajetória, está o Estatuto da Pessoa com Deficiência (2015), conhecido como Lei Brasileira de Inclusão, que possibilitou ao deficiente conquistar a autonomia, a inserção no mercado de trabalho e a possibilidade de constituírem um lar, uma nova família”, diz Roson.
 Logo em seguida a participação de dois autodefensores do Estado de São Paulo e a palestra com Dr. Pablo Stolze sobre a Lei Brasileira de Inclusão.
Várias ações serão desenvolvidas na cidade no mês de setembro, de forma virtual, envolvendo os assistidos e seus familiares e a população de maneira geral.

+Notícias