Rede Drogal é mais um exemplo de inclusão com responsabilidade

9/28/2020

Dentro do “Setembro Verde”, campanha instituída pela FEAPAES – SP em parceria com a APAE de Valinhos, com o objetivo de lutar pelos direitos e inclusão social da pessoa com deficiência, a APAE  tem muitos relatos de inclusão com responsabilidade e hoje o destaque é para rede de farmácias Drogal junto ao Programa de Inclusão de Mercado de Trabalho.
Dois jovens, Henrique Geovane Becaleto e Mayra Guimarães da Cruz, estão inseridos e atuam como repositores desde 2019 com a supervisão do gerente regional Márcio de Lima Santos na Drogal.
O gerente conta que a inserção dos jovens foi a primeira experiência de funcionários com deficiência dentro da loja e nessa parceria com a APAE conseguiram realizar um excelente trabalho de inclusão, com oportunidades e direitos iguais aos dos demais funcionários da farmácia.
Durante o período de experiência com um trabalho em equipe eles puderam observar onde os dois funcionários possuíam maiores habilidades e isto auxiliou na hora de definir as atribuições de cada um. “No período de experiência conseguimos ver onde possuíam maior facilidade para trabalhar, e definimos atribuições fazendo com que se sentissem importantes para o processo. Ambos foram treinados e no dia a dia vão ganhando autonomia dentro da empresa.  Para a Drogal de Valinhos, Henrique e Mayara vieram contribuir muito com o processo”, destaca Márcio.
O jovem Henrique fala com satisfação deseu trabalho e sobre sua relação com a equipe. “Gosto de auxiliar os clientes quando precisam”. Ele fala como cuida do salário que recebe: “Pago o  plano de saúde e compro aquilo que é essencial”.
Já Mayra diz que tem o desejo de crescer ainda mais dentro da loja. Quanto ao dinheiro, ajuda os pais e usa parte do salário para investir em um imóvel próprio e ainda traz uma frase de incentivo aos amigos que também estão atuando:  “É bom pensar para onde vai o dinheiro. Na minha opinião é melhor investir em alguma coisa que queremos, porque lá na frente, vamos ter aquilo que desejamos”.
O gerente Márcio finaliza: “A relação deles com a equipe foi uma troca de informação. Sabíamos das limitações, no começo não sabíamos como lidar, pois era algo novo, mas hoje temos um relacionamento bem legal. Existe um respeito entre ambas as partes, eles são bem profissionais e gostam de se sentir importantes e querem fazer tudo, até muitas vezes coisas, além das suas obrigações, mas a gente tem um relacionamento de respeito e de amor um pelo outro.”

+Notícias